Parque das Serras do Porto

Hoje, 18 de abril de 2016, deu-se mais um passo para o desenvolvimento da nossa região e da nossa paisagem. Hoje, lavrou-se a escritura pública de constituição da associação de Parque das Serras do Porto. A associação, que engloba os municípios de Valongo, Paredes e Gondomar, terá sede em Valongo e será presidida em primeiro lugar pelo presidente da Câmara de Paredes.

A associação foi constituída para desenvolver o projeto “Pulmão Verde” com o objetivo de promover a natureza e a vida ao ar livre nas serras do Porto, e é inédita naquilo que é fazer política em prol do bem comum, em conjunto e com o mesmo objetivo.

As três autarquias da Área Metropolitana do Porto uniram os seus esforços para levar a cabo uma maior proteção das zonas verdes que têm vindo a sofrer com a poluição, lançando com esse intuito este projeto que engloba uma área com cerca de 5.700 hectares.

Os três municípios estão por isso empenhados em alavancar de forma sustentável as potencialidades naturais dos terrenos que têm em comum: as serras de Santa Justa, Pias e Castiçais que pertencem à Rede Natura 2000, além das serras das Flores, Santa Iria e Banjas.

Contaram-se 70 longos anos, em que várias iniciativas foram pensadas com o objetivo de proteger e, da mesma forma, promover as paisagens destas serras. Elencaram-se alguns projetos, de iniciativa de vários partidos políticos, que por várias razões nunca foram concretizados.

Na cerimónia que decorreu em Gondomar, Marco Martins sublinhava que depois desta formalização, depende agora do empenho de cada um dos intervenientes de passar para a ação, tomando a região do Porto (a marca Porto) como capital de todo o Norte do país, como destino turístico de eleição.

Os objetivos máximos são a promoção ambiental, a valorização da natureza e da vida ao ar livre. Mas o projeto visa ainda promover iniciativas conjuntas de “turismo, lazer, animação, formação, emprego, inclusão, sustentabilidade, inovação, competitividade e internacionalização da economia”.

Esta é a forma mais autêntica de se fazer política. Olhar além do nosso território para daí trazermos o que há de melhor. Projetar em conjunto, não olhando a cores políticas mas apenas na estratégia em prol da população e do bem comum. Acordar em trabalhar em conjunto, partilhando das mesmas preocupações, desafios e sucessos, trazendo para o nosso município o melhor possível, não deixando contudo de o partilhar.

É uma visão ampla e de futuro. Pensando hoje naquilo que se pode fazer pela nossa paisagem, pelo nosso turismo e economia local, e projetando esses desafios no tempo, no futuro de todos.

, ,