PCP propõe novo passe no Porto – Pelo direito à mobilidade de todos

O PCP defende que os títulos Andante passem a ser válidos em todos os operadores, públicos ou privados, a «quem já tenha sido ou venha a ser concessionada a exploração de circuitos e redes de transportes». A proposta pretende que neste novo passe seja incluída a utilização dos parques de estacionamento associados a interfaces da rede de transportes coletivos e querem que ele possa ter uma validade semanal, quinzenal ou mensal. Desta forma será criado um regime especial a preços mais reduzidos – com descontos de 50 por cento sobre o respetivo tarifário – para os cidadãos com idade até 24 anos e que não aufiram rendimentos próprios, estudantes e pessoas com idade superior a 65 anos ou que se encontrem em situação de reforma por invalidez ou velhice.

Com esta proposta, o PCP pretende contrariar o aumento do custo de vida e facilitar a mobilidade das populações. O passe social intermodal é um «elemento estruturante de uma política de transportes, com uma enorme importância na atração de utentes ao sistema de transportes públicos, gerador de benefícios para o funcionamento da economia, a mobilidade e o ambiente e, consequentemente, para a qualidade de vida das populações». A sua criação, após o 25 de Abril, contribuiu para reduzir os gastos das populações com transportes e garantir-lhes o acesso a uma oferta diversificada e abrangente com um sistema tarifário simples e acessível.

O PCP pretende ainda com esta proposta contribuir para inverter o rumo seguido por sucessivos governos também no que respeita à política de transportes na Área Metropolitana do Porto que seguiu unicamente o propósito de preparar o setor para a privatização, o que é deve ser prioritário de facto para as empresas é aumentar o número de utentes e alargar a qualidade e a cobertura da oferta.

Esta proposta permitirá inverter o rumo que foi seguido pelos sucessivos governos do PS, PSD e CDS, relembre-se a sucessão de privatizações no sector o corte de carreiras, o aumento do preço dos títulos muito acima da inflação e o ataque ao passe social intermodal de que os passes «combinados» ou o próprio Andante são exemplos recentes.

, ,