“Prevenção de acidentes de mergulho”

Estimados leitores, este título pode parecer estranho, pois existem campanhas de prevenção para tanta coisa, que para “acidentes de mergulho” é algo que pode parecer inédito. No entanto, só no ano passado estes acidentes, após um simples mergulho ou numa piscina, rio ou mar, provocaram 17 vítimas com paralisias definitivas… É um número que pode parecer pequeno, para uma campanha tão grande, liderada pela Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia, na qual pessoalmente me tenho empenhado, mas mesmo que fosse só por um caso já valeria apena. Reparem que um simples mergulho, sem as devidas cautelas, após um traumatismo da coluna cervical, por impacto da cabeça no fundo da piscina ou no leito de um rio ou numa onda do mar, pode provocar uma fractura de uma vértebra cervical, que condiciona uma lesão da medula cervical com consequente paralisia dos braços e pernas, que muitas vezes é definitiva, condicionando a mobilidade para toda a vida. Um momento de lazer ou de férias, pode ser fatal para toda a vida, por um simples descuido, que com algum cuidado poderia ter sido evitado. Bastaria analisar primeiro o local em que se vai mergulhar, ver se tem rochas, qual a verdadeira profundidade, enfim pequenos cuidados que fazem toda a diferença. Bem diz a sabedoria popular, quando alguém decide sobre um assunto sem o analisar “aquele atirou-se de cabeça”. Caro leitor não o faça, sem os cuidados a ter, que são fáceis e descritos num folheto que pode encontrar em consultórios ou clinicas de Ortopedia.
Só quem acompanhou doentes, vítimas de fraturas cervicais após um mergulho e seguiu toda a tragédia condicionada por um ato irrefletido e evitável, poderá valorizar esta chamada de atenção. Das 17 vítimas deste tipo de acidente, no ano passado, 70% tinham menos de 29 anos, logo fruto de alguma inexperiência de vida. Em caso de acontecer o acidente ligue de imediato para o 112, que dispomos de uma das melhores assistências ao acidente tanto pelo INEM, como pela rede de bombeiros voluntários, que de um modo, muitas vezes heroico, acodem a estes e outros acidentes.
Pensem que um momento de lazer, férias ou num simples mergulho, podem acabar com a vossa felicidade e a dos que vos querem bem. A Medicina atual, já sofreu muitos desenvolvimentos tecnológicos, mas nas lesões medulares vertebrais ainda está muito condicionada, não resolvendo grande parte das paralisias provocadas por estas fracturas. Vamos fazer das nossas férias um momento de alegria e descompressão da nossa vida, cada vez mais stressante e de dificuldades em demasia.
Boas férias e lembrem-se, cuidado quando mergulharem de cabeça…

,