Primeiro Editorial

José Ângelo Pinto - Administrador da Vivacidade, SA.

José Ângelo Pinto – Administrador da Vivacidade, SA.

Caros Leitores,

O Jornal Vivacidade é hoje conhecido pelos leitores. O nascimento de um jornal com a qualidade que vos apresentamos, não ocorre por acaso. Nasce do trabalho de uma equipa que foi sendo constituída há já alguns meses e que foi organizada para servir o melhor possível a população de Gondomar.
Começou com a procura de investidores que pudessem acrescentar mais valias ao projecto, quer promovendo a pluralidade, quer acrescentando valor aos conteúdos e à informação que pretendemos isenta e responsável. É motivo de profundo orgulho dos promotores iniciais, verificar que o conjunto de acionistas e respetivo investimento vai permitir que o projeto possa singrar com estabilidade e que o plano de negócios foi tão bem recebido. É ainda interessante constatar que o capital está suficientemente disperso para podermos dizer que os grandes acionistas não controlam diretamente o jornal, sendo, portanto, um dever e uma obrigação a administração e a direcção apresentarem um trabalho que possa ser reconhecido por todos como de grande valor acrescentado. Pois, se tal não ocorrer, os acionistas dispõem do poder mais importante a substituição da equipa de gestão.
Prosseguiu com a contratação de um corpo de colaboradores que garantisse a estabilidade, profissionalismo, diligência e seriedade que queremos que o projeto tenha. Neste nível, o nosso esforço foi plenamente recompensado. O corpo de colaboradores do jornal é um conjunto de indivíduos que poderiam constar em qualquer publicação de âmbito nacional, com grande experiência e conhecimento teórico e prático sobre a profissão jornalística e sobre o mercado da comunicação social em geral.
Um projecto local digno desse nome só pode existir se dedicar uma grande parte do seu espaço à opinião livre. Desde a elaboração do plano deste projeto que sempre se colocou em destaque a intervenção dos partidos com representatividade em Gondomar. Optámos por convidar as comissões políticas, secretariados ou grupos de trabalho (consoante o partido, o nome difere) para participar ativamente no jornal, com uma coluna de opinião por edição. Ficamos francamente surpreendidos com a qualidade de escrita dos elementos, que as organizações partidárias escolheram para os representar. Os artigos enviados pelos colaboradores ligados aos partidos estão de acordo com os níveis de qualidade que queremos que todo o jornal tenha, cabendo aqui, além do reconhecimento desta qualidade, um agradecimento pela disponibilidade com que abdicaram de algumas horas para melhorar a informação do jornal.
O leitor atento verificará que esta edição é uma amostra do que queremos construir e do que queremos ser. A publicidade constante nesta edição é ainda insuficiente para que os custos do jornal estejam cobertos. É preciso que exista mais e melhor publicidade. Os nossos angariadores não conseguiram ainda visitar todas as empresas e organizações da área de influência do projecto. Isto porque, por um lado, quisemos investir também nesta área, em recursos humanos com grande qualidade e disponibilidade e por outro, porque a área que abrangemos é bastante extensa. Apelamos aos empresários e comerciantes de Gondomar para que recebam os nossos representantes e escolham as melhores soluções para poderem potenciar o seu negócio através de um veículo único, que agora passa a existir.
O conteúdo que levamos até aos nossos leitores é bastante rico. Consideramos a educação um investimento estratégico, no qual devemos investir ao longo de toda a vida. O investimento que a Junta de Freguesia de S. Cosme está a realizar na Universidade Sénior, com a colaboração de um conjunto de organizações como a Câmara Municipal de Gondomar, merece destaque, quer pela importância da realização em termos económicos e sociais, quer pela profunda relevância para a população do concelho, em especial para os mais seniores.
Ao longo da presente edição poderá encontrar um conjunto lato de artigos de opinião. São apenas uma demonstração da grande vontade, que os promotores têm de dar voz à opinião livre e fundamentada dos colaboradores e também do público em geral. Desafiamos os nossos leitores a enviarem artigos, para o nosso email opiniao@vivacidade.org ou para a redação.
O projecto Vivacidade não se esgota na edição de um jornal mensal de informação sobre Gondomar. O nosso objectivo de curto prazo é alargar o âmbito de atuação do jornal, particularmente para as freguesias mais próximas de Ermesinde, Valongo, Campanhã. Também é nossa prioridade a diminuição, a breve trecho, da periodicidade do jornal, passando de mensal para quinzenal. Outro objectivo no futuro é o lançamento de uma rádio local e, porque não, uma televisão, utilizando as potencialidades da Internet.
Uma palavra sobre a tão falada criação do concelho de Rio Tinto. Independentemente das diferentes opiniões que os próprios elementos do jornal têm sobre o assunto, uns a favor, outros contra e alguns ainda sem opinião formada, é um tema suficientemente importante para se abordar num suplemento especial. Temos como objectivo a sua realização em breve.
Um agradecimento profundo a todos os que colaboraram connosco para que fosse possível levar a edição número zero até si. Gostaria de salientar, em particular, o nosso director Miguel Almeida e o nosso director-adjunto, Luís Ferreira, não esquecendo todos os colaboradores que prontamente acederam a produzir artigos. Destaco também os colaboradores da área desportiva e, ao nível interno, os colaboradores da área comercial e da área administrativa.
Merecem também um agradecimento particular todos os comerciantes, que se disponibilizaram para distribuir o jornal e levá-lo até aos leitores. Na impossibilidade de conseguirmos que a distribuição fosse feita casa a casa, procuramos fazer com que este jornal estivesse disponível o mais perto de cada leitor, tendo para isso, apelado ao sentido de cidadania dos comerciantes. Temos a certeza que será obtido o melhor retorno do investimento que agora fazem.
Esta direcção não vai utilizar nenhum lápis, de qualquer cor, para obstar a opinião de quem escreve. Respeitamos profundamente os princípios editoriais que promovemos e vamos fazer tudo por os cumprir. Ao nível empresarial, o grupo que represento com orgulho nesta direcção, vai limitar a atuação a verificar o cumprimento da lei, do estatuto editorial e das normas internas, deixando que o conteúdo seja produzido pelos jornalistas, que vão julgar as matérias exclusivamente pelo interesse informativo e formativo das mesmas.
​Gostaria de terminar este primeiro editorial referindo o princípio básico que vai nortear a intervenção e os conteúdos deste jornal, enquanto esta direção estiver em funções. Disse J. M. Maclean, editor do jornal “Manchester Guardian” que no seu jornal, os factos são factos, mas a opinião é livre. É este o princípio que adoptamos e queremos concretizar ainda melhor nas próximas edições.

José Ângelo Pinto,
Administrador da Vivacidade, SA.
Economista e Docente Universitário

,