“Prometemos, cumprimos!”

Chegado o período das eleições autárquicas é tempo de conhecer projetos eleitorais, candidatos, propostas, e trabalho realizado.

É, pois, natural que quem esteve à frente dos destinos do concelho procure neste momento demonstrar se, efetivamente, cumpriu o programa eleitoral a que se propôs nas ultimas eleições. Perfeitamente legítimo.

De igual forma é legitimo que analisemos, com a profundidade que cada assunto merece, se é verdade que algumas propostas foram ou não cumpridas. Limitar-me-ei, nesta crónica, a analisar três propostas que o PS assume agora, perante os gondomarenses, que cumpriu.

Pois bem, vejamos se assim o foi. Analisemos o outdoor, espalhado um pouco por todo o concelho, no qual o PS assume que promoveu o ambiente concretamente: na despoluição do rio Tinto/construção de um parque urbano, na remoção dos resíduos de São Pedro da Cova e na criação do Parque das Serras do Porto.

É lamentável que o PS Gondomar afirme que estas três importantes temáticas sejam por um lado propostas suas e, por outro lado, que estão cumpridas porque tal não passa de uma profunda mentira: O rio Tinto não está despoluído, o parque urbano não esta construído, os resíduos depositados em São Pedro da Cova não foram removidos e o Parque das Serras do Porto só está criado no papel…

Permitam-me desconstruir estas “propostas cumpridas”:

  1. Recentemente, com o lançamento da construção do intercetor em Rio Tinto, foi dado um importante passo tendo em vista a recuperação/despoluição do rio Tinto o que só foi possível por se tratar de um projeto em parceria com a Câmara Municipal do Porto e praticamente suportado por fundos comunitários. É bom não esquecer que foi pela luta da população riotintense, do qual o Movimento em Defesa do Rio Tinto foi o seu rosto mais destacado, é que foi possível concretizar este objetivo. Diga-se, também, que por si só o intecetor não permitirá a despoluição do rio Tinto;
  2. Igualmente, foi iniciado no mês passado a construção do parque urbano de Rio Tinto, envolvido em polémica, em jogos de interesses de aquisição de terrenos que Marco Martins persiste em não querer esclarecer. Para os mais interessados remeto à leitura da minha crónica intitulada “A polémica em torno do futuro Parque Urbano de Rio Tinto – O presidente da CMG assim o quis” (http://public.vivacidade.org/opiniao/a-polemica-em-torno-do-futuro-parque-urbano-de-rio-tinto-o-presidente-da-cmg-assim-o-quis/);
  3. Sobre os resíduos perigosos depositados ilegalmente em São Pedro da Cova, o PS oculta a luta abnegada da população e da sua Junta de Freguesia que sozinhos, durante décadas, lutaram para a resolução do maior crime ambiental cometido no nosso concelho.
  4. Sobre o Parque das Serras do Porto, um projeto intermunicipal (Gondomar, Paredes e Valongo) que inexplicavelmente tem um orçamento para este ano de 175 mil euros (!!!) e que, conforme referiu ao JN (30/5/2017) o presidente da Câmara de Valongo: “sem financiamento é difícil avançar com o projeto”…

Cabe-lhe agora a si, caro leitor, com estas notas tirar as suas próprias ilações. Da minha parte concluo que desta forma é muito fácil propor e cumprir. Facílimo.

, ,