São Pedro da Cova – uma luta com mais de 13 anos

Iniciaram a 10 de setembro os trabalhos preparatórios de remoção dos resíduos perigosos em São Pedro da Cova, tendo saído o primeiro camião a 2 de outubro – resultado da persistente denúncia que o PCP tem feito há mais de uma década, da continuada luta da população e das insistentes diligências feitas pela Junta de Freguesia de São Pedro da Cova, nomeadamente desde Janeiro de 2002, denunciando as cumplicidades da Câmara Municipal de Gondomar e do Governo e não abdicando do combate a este crime ambiental e de saúde pública.
Em 2002, o Grupo Parlamentar do PCP confrontou o Governo com a situação da criação de um depósito de resíduos perigosos em São Pedro da Cova, provenientes da antiga Siderurgia Nacional. Já em Novembro de 2001, análises laboratoriais indicavam a perigosidade dos resíduos devido ao seu alto teor de cádmio e chumbo, com valores superiores aos permitidos por lei.
Esses resultados, que ajudaram a sustentar a contestação do licenciamento do aterro por muitos populares, foram ignorados pelo Ministério do Ambiente e outras entidades, não tendo sido dado o devido seguimento à denúncia pública de crime ambiental.
Silêncio e passividade foram comportamentos habituais do Ministério do Ambiente, com cumplicidades municipais, mesmo após exposições remetidas ao próprio Ministério, aos Grupos Parlamentares, à CCDR-Norte, à Direção Regional do Ambiente e Ordenamento do Território e à Câmara Municipal de Gondomar – um processo liderado pelo PCP, dando assim voz à indignação da população, traduzida também no Projeto de Resolução apresentado pelo Grupo Parlamentar do PCP em Setembro de 2011, recomendando ao Governo a remoção dos resíduos perigosos depositados nas antigas minas de carvão de São Pedro da Cova e as medidas de correção e contenção dos impactos ambientais no local.
Hoje, com os trabalhos de remoção dos resíduos em andamento, o PCP continua a defender a necessidade de compensar a população pelos prejuízos causados e garantir a requalificação da zona afetada.
Valorizando a vitória alcançada por todos quanto lutaram por este desfecho, designadamente a população, é fundamental que sejam tomadas medidas, nomeadamente governamentais, para garantia da qualidade da água na zona envolvente, além do cabal apuramento das responsabilidades pelo crime ambiental cometido.
O PCP continuará a acompanhar este processo e a intervir neste sentido, bem como na requalificação cultural do espaço, devolvendo-o às pessoas.

, ,