Sonhei que a Câmara “deu” 59.999,92 € à imprensa local… Mas não!

Há uns quantos dias, desafiado por um amigo, fui investigar alguns contratos públicos que estão depositados no Base (em www.base.gov.pt).
O “Base” é o portal dos contratos públicos e tem por função essencial centralizar a informação sobre os contratos públicos celebrados em Portugal. Ou seja, permite-nos saber pormenores referentes à formação e execução dos contratos públicos, possibilitando o seu acompanhamento e monitorização. Algo também passível de ser feito no Diário da República, mas este último um documento ao qual nem todos terão acesso.

Contratos de aquisição e locação de bens e aquisição de serviços, empreitada de obras públicas e contratos de concessão de obras e serviços públicos são o que lá é devidamente registado.

Já se soube, no passado, que há erros nas inserções, casos omissos. Mas, ainda assim, não deixa de ser algo de muito curioso percorrer esta plataforma durante algumas horas de análise e investigação.

O “motor de busca” do portal facilita uma pesquisa ao que nos pode interessar. E em poucos minutos se confirmam pormenores sobre um qualquer contrato: a explicitação precisa e completa dos bens, serviços ou obras objeto do mesmo, o preço, a identificação do adjudicatário (e dos restantes concorrentes), aseventuais impugnações e todos os anexos e aditamentos.

Já não serei o primeiro a referir-me ao “investimento” que o atual executivo, socialista, faz em publicidade na comunicação social, com especial destaque para a imprensa escrita.

São públicos os números anuais aplicados em propaganda e publicidade.
Pois bem, julguei eu que finalmente a Câmara de Gondomar se iria lembrar que no concelho existe imprensa local. A tal que está quase sempre presente, que divulga o que acontece no concelho, que fala dos gondomarenses e que, de forma mais ou menos regular, chega até junto dos seus leitores.

Pois… Julguei, mas julguei mal!
No dia 5 de fevereiro deste ano contratualiza-se com um jornal (ou com uma empresa “dona” de vários órgãos de informação) um total de quase 60.000 euros. Faltaram-lhes uns reles oito cêntimos…
Fiquei feliz quando inicialmente pensei que a referida verba se destinaria também a este jornal, o Vivacidade, ou ao Repórter de Gondomar – as agora existentes publicações no concelho.
Mas não…

A “aquisição de serviços de promoção do Município de Gondomar” foi feita a outros…

O “caderno de encargos” deve ter as justificações todas para este “investimento”, acredito…
São quase 60.000 euros!
Pesquisei, depois, os valores de “aquisição de serviços de promoção do Município de Gondomar” feitos junto da imprensa local. Desiludi-me. Irrisórios é o que me ocorre dizer. A caminho do inexistentes.

Enfim …. é preciso olhar para a Comunicação Social local.
É melhor nem olhar mais para aquilo – principalmente quando começo a verificar quase sempre as mesmas empresas a ganharem tudo e mais alguma coisa.

, ,