A última palavra cabe aos Gondomarenses!

Germana Rocha / PSD

As próximas eleições autárquicas do dia 1 de outubro constituirão mais um momento importante, quer na história da nossa democracia quer na história de cada um dos concelhos, neste caso concreto de Gondomar.

As autarquias locais são um meio muito importante para a resolução dos problemas das pessoas em concreto, por constituírem um poder mais próximo e mais eficiente nessa mesma resolução, devido ao facto de os autarcas estarem mais perto de cada um dos cidadãos, constituindo, por isso, a Descentralização de Competências um processo crucial para o cabal exercício de funções dos nossos autarcas legitimamente eleitos.

Estamos na reta final da campanha eleitoral e é importante que a mesma decorra de forma legal, correta, e sem atropelos de qualquer espécie, por forma a que quem pretende dar a conhecer os seus programas aos eleitores tenha efetivamente essa oportunidade para que estes tenham pleno conhecimento da realidade que se vive no nosso concelho, bem como dos projetos que cada uma das candidaturas em concreto tem para serem levados a cabo nos próximos quatro anos.

Mas, nestas eleições autárquicas, e, apesar de alguns por vezes esquecerem-se disso, quem vai ser avaliado é quem esteve no exercício de funções nestes últimos quatro anos, apenas e só, porque é o atual mandato autárquico exercido pelo Partido Socialista que caberá aos gondomarenses escrutinar no próximo dia 1 de outubro.

Depois de muitos quilómetros percorridos há várias conclusões a que podemos chegar, desde logo, que o medo e a desconfiança estão instalados, o que é motivo de grande preocupação para todos aqueles que exercem funções políticas e aos mais diversos níveis, depois o desinteresse e a desmotivação que se sente com quem se contacta diariamente o que nos deve levar a fazermos uma reflexão séria e profunda relativamente aos motivos desta realidade.

Mas também percebemos que, atualmente temos eleitores cada vez mais exigentes e,  por isso, há dois apelos que quero fazer a quem lê este artigo, o primeiro, é que analisem e avaliem de forma séria e rigorosa o mandato que está em curso, que analisem ainda e de forma atenta cada um dos programas eleitorais de todas as candidaturas aos órgãos autárquicos e em consciência decidam em quem votar, por forma a que os próximos quatro anos não constituam mais uma oportunidade perdida e irrecuperável para Gondomar.

O segundo apelo, é que vote, não fique em casa, não deixe que sejam os outros a decidirem por si, porque a última palavra cabe aos gondomarenses!

, , ,