“Consultórios médicos versus clinicas e hospitais”

Paulo Amado / Médico Especialista de Ortopedia e Traumatologia

Realmente a realidade da prestação de serviços de saúde está a modificar. Dizem que os “velhos” consultórios médicos têm os dias contados, com um desaparecimento crescente a favor de grandes hospitais e clínicas privadas. Eram conhecidos consultórios de médicos privados famosos, onde os doentes procuravam uma medicina mais personalizada, onde se sentiam num ambiente mais “familiar”, propício a que o doente “desabafasse os seus males” de forma mais coloquial, sem a frieza dos hospitais ou clínicas medicas onde o ambiente e o número de pacientes é tal que não se criavam condições para essa medicina dita “familiar”.

O progresso e as exigências técnicas contribuem de forma clara para o desaparecimento dos tais consultórios em que mesmo a imposição de condições físicas por parte das autoridades, dificultam em muito a atividade de consultórios médicos. De tal forma que se afirmava, há bem pouco tempo que cerca de 90% dos consultórios médicos privados estariam a funcionar sem as condições de exigência das entidades reguladoras de saúde. Não se pode comparar um consultório a um hospital bem apetrechado, nem mesmo com as atuais clínicas, devendo ter necessariamente uma regulamentação própria e adequada. Trata-se de não acabar com o famoso médico “João Semana”, que ainda se pode encontrar por essas aldeias deste lindo Portugal.

O progresso é algo inevitável e claramente positivo, mas o tradicional terá sempre lugar e deve ser protegido, o que nem sempre acontece.

Já tenho saudades da medicina de consultório privado, com as convivências e muitas histórias que ficam na memória. Talvez em breve isso se resolva…

 

, ,